Pensar sobre a autoestima no casamento é importante, visto que a saúde mental da mulher pode estar diretamente relacionada com isso. Um casamento requer uma construção mútua, e isso quer dizer que ambos os lados estão envolvidos no desenvolvimento saudável do casal.

Entretanto, muitas vezes as mulheres acabam se sentindo impactadas e até mesmo menos felizes com algumas atitudes do parceiro. E estes sentimentos negativos podem acabar desencadeando alguns efeitos na autoestima da mesma.

Para tanto, elaboramos este artigo com algumas considerações importantes sobre este assunto, para que você possa refletir um pouquinho sobre a sua autoestima enquanto mulher casada. Vamos lá? 

Como anda a sua autoestima?

É claro que, inicialmente, vamos lhe questionar sobre como anda a sua autoestima. E, neste ponto, queremos que você pense sobre o fato de se sentir amada, cuidada, e notada pelo seu parceiro.

Como você se sente com relação a isso? A resposta é positiva, negativa, ou indiferente?

Pois bem. Imagino que se você chegou neste texto, é porque algum fragmento de seu casamento pode estar afetando diretamente o modo como você se enxerga. E com isso, efeitos como o aparecimento da ansiedade e do estresse podem ser bem marcantes.

Você pode, por exemplo, notar uma distância entre você e seu marido, e consequentemente atribuir isso a algo “ruim” (que você pensa que é ruim) em você.

Mas, será que é assim que as coisas devem ser vistas? Sabemos que você tem responsabilidades diante do que sente e diante da maneira que você se porta. Porém, precisamos pensar um pouco mais a fundo. Continue lendo que você entenderá.

 Um casamento tem dois lados

Refletiu como anda a sua autoestima e você chegou a conclusão de que ela poderia estar um pouco melhor? Pois bem, vamos pensar sobre isso agora.

Queremos que você compreenda que um casamento nunca deve ser visto de um modo unilateral, embora muita gente enxergue assim. E por mais óbvio que isso possa parecer, nem sempre isso acontece.

Costumeiramente nos deparamos com mulheres queixosas a respeito do modo como o marido às trata, ou então, do modo como as coisas estão “esfriando”. Porém, nenhuma atitude acaba sendo tomada, e estamos nos referindo aos dois lados.

Um casamento precisa de abertura, responsabilidade, respeito e paciência. Sem estes fatores, torna-se um tanto difícil conversar e abrir o jogo.

Por isso, antes mesmo de criar mil teorias em sua mente, é melhor que você converse com o seu parceiro sobre o que tem sentido com relação a si e ao relacionamento.

Não tenha medo de expor seus sentimentos. Uma relação é baseada, de certo modo, em sentimentos. E eles precisam vir à tona!

Tampouco fique se culpando o tempo todo por tudo que acontece. Isso pode gerar muito estresse para o seu dia a dia.

É claro que existem as suas responsabilidades, mas de modo algum deverá crer que apenas você está se distanciando ou algo neste sentido. É preciso enxergar os dois lados e, antes disso, saber ouvir cada um deles.

Nenhum relacionamento é perfeito

A partir da abertura, com uma conversa franca com o seu marido, você perceberá que nenhum relacionamento é perfeito. E ainda bem que não é!

Pois pare e reflita: se um relacionamento fosse perfeito e com tudo premeditado, como seriam os momentos a dois? Será que você sentiria aquele frio na barriga de se arrumar para sair com o seu marido? Será que ele se sentiria ansioso em te levar para jantar? Ou vice versa?

Pois é! A imperfeição, na realidade, é o que torna cada casal único. Que em meio as suas desavenças e incompatibilidades conseguem encontrar um terceiro caminho que os une diante do amor. E com isso, vão construindo, reconstruindo e crescendo na medida em que conhecem um pouco mais um sobre o outro.

Quando você permite compreender que não precisa ser a “esposa perfeita”, percebe que o seu marido também não precisa ser plenamente perfeito! E isso fará com que você enxergue mil e uma possibilidades para vocês. Consequentemente, a ansiedade da perfeição pode desaparecer, gradativamente.

Primeiro, a cobrança em cima de si mesma diminuirá expressivamente. Segundo, você conseguirá se aproximar do lado mais íntimo e ser humano do seu marido, na medida que o enxerga como uma pessoa com defeitos e qualidades, que lhe trará sensações diferentes todos os dias.

 Você não precisa arcar com tudo

Por fim, considerando os pontos acima, a autoestima no casamento está atrelada com o se autoconhecer e se desenvolver a cada dia, sem a necessidade de arcar com tudo.

Divida tarefas. Converse sobre cada um ter um tempo com os filhos. Tire momentos só para se cuidar e ficar sozinha, curtindo a própria companhia. Assim que você se permitir não arcar com tudo, perceberá que o caminho a dois pode ser leve.

E sendo leve, os impasses serão mais fáceis de escutar, compreender e usar como um meio para desenvolver ainda mais a vida a dois.

A autoestima no casamento é você saber que apesar de ser uma esposa, você ainda é uma mulher. E além disso, além de ser uma mulher, vocês são um casal. Construa quem você é, e una com a construção do seu parceiro.

Pois entre defeitos e qualidades, vocês não terão um casamento perfeito. Mas sim, um casamento possível e passível de felicidades!

Por: Camila da Silva

Psicóloga CRP: 12/17354