Não é de hoje que vemos o reflexo que as mídias sociais e o seu impacto provocam nas pessoas, especialmente nas mulheres. A busca pela perfeição, a cada dia, aumenta ainda mais. E, com isso, muitas destas mulheres se sentem inferiores e consequentemente fragilizadas diante de outras.

Mas, como refletir sobre este assunto? O que considerar acerca da “perfeição”? E, além disso, o que é ser perfeito?

No artigo de hoje, vamos discutir todos estes assuntos para que você possa compreender mais profundamente o impacto que estamos apontando. Acompanhe.

O que seria “ser perfeito”?

Primeiramente, queremos que você pare e pense: “o que seria ser perfeito”? Ou, no seu caso, “perfeita”? Será que a perfeição realmente existe?

Pois sabemos que a maioria das mulheres que possuem perfis com milhares de seguidores nas redes sociais, jamais publicará alguma imagem que apresente algum “defeito”, pouca luminosidade ou algum ângulo que não favoreça a mesma.

Acontece que estas pessoas que vendem a imagem da perfeição, na realidade, trabalham para criar exatamente este acabamento de perfeito. E, com isso, editam, usam produtos de beleza e apostam em fotógrafos profissionais para criar efeitos impecáveis.

Portanto, pare e pense: o que está perfeito? A foto, ou a pessoa? Creio que a resposta seja a fotografia, não é mesmo?

Baseada em quê está a perfeição?

Seguindo o raciocínio acima, você pode começar a pensar em quê esta tal da “perfeição” está baseada. Como seria possível atribuirmos o melhor padrão para uma mulher? Será que isso tem como acontecer?

Afinal, cada mulher é única. Algumas gostam de cabelos longos. Outras, preferem os cabelos em um corte médio. Há aquelas que adoram tatuagens, e outras que jamais fariam uma se quer.

Portanto, queremos que você pense com base no quê você está dizendo que aquela mulher específica é perfeita, e você não. Como você pode fazer uma comparação entre você e outra mulher com traços diferentes dos teus?

É difícil, obviamente, encontrar semelhanças muito profundas, visto que cada pessoa é única. E se cada pessoa é única, como seria a pessoa perfeita? Só existe uma pessoa perfeita, porque ela tem uma imagem tratada na rede social? Pense nisso!

Os seus atributos são mais importantes

Um terceiro ponto que você deve analisar ao pensar sobre as mídias sociais e o seu impacto na saúde mental das mulheres, é com relação aos seus próprios atributos.

Quando foi a última vez que você pensou no que gosta em si? Quando foi a última vez que você olhou diretamente para você no espelho, e não para a imagem que ali aparecia, pensando na “mulher perfeita” que você viu ontem?

Sabemos que este exercício é muito difícil, e que não será de uma hora para outra que você se sentirá mais confiante e feliz consigo mesma.

De todo modo, trata-se de um trajeto que deverá ser percorrido de pouco em pouco, todos os dias. Pense, primeiramente, no que você mais gosta em si. Depois, parta para o que lhe deixa desconfiada, insegura ou até mesmo triste.

E é justamente nestes que você deverá focar. Por que o seu cabelo preto lhe deixa triste? Porque ele não é de outra cor? Mas, por que ele deveria ser? Com base em quê? (Voltamos aqui, a reflexão do tópico anterior).

Lembre-se da realidade inatingível

Por fim, lembre-se que as mídias sociais, em sua maioria, vendem uma realidade inatingível.

Isto é, nem mesmo as pessoas que estão lá, “lindas e perfeitas”, se sentem perfeitas. Você já parou para pensar nisso?

E sabe por que elas não se sentem perfeitas? Porque ninguém é! Todo mundo tem um “ponto fraco” e algo que gostaria de mudar em si. E quando se depara com um programa de edição de imagem que “tira” o ponto fraco, a pessoa usa. E, com isso, vende uma imagem inatingível.

De todo modo, entenda que não estamos dizendo que editar a sua foto é errado. É claro que você pode disfarçar o que não gosta e enaltecer o que te faz sentir bem.

Mas sim, o que estamos querendo dizer é que você não deve usar essas imagens como parâmetro do que é ser bonita e do que não é. Você não precisa parecer editada na vida real.

E, pudera, a realidade é muito mais envolvente e interessante do que uma tela com 4 camadas de filtros, você não acha?

Pense sobre este assunto e, se se sentir à vontade, deixe um comentário aqui abaixo, para que possamos conversar. Até a próxima!

Camila da Silva

CRP 12/17354