“O calor está insuportável” ou “Quem deixou o ar condicionado ligado neste frio.” “Por que o ônibus demora tanto” ou “O ônibus chegou lotado”.

Todos esses “ous” são afirmações negativas, de estafa, de cansaço  e de desesperança. Parece que nada de bom acontece, mas e se eu lhe dissesse que poderia trocar as lentes dos seus olhos?

Que basta algumas práticas diárias para que esses “ous” não viessem mais a mente, que você se sentiria feliz no calor ou no frio, na espera e na demora – em um lugar cheio de gente que não conhece?

Parece impossível? Parece milagre? Não, é prática. É rotina. Eu poderia lhe desafiar a ficar 21 dias sem reclamar!

A felicidade diária

Felicidade é uma palavra muito forte. Forte demais para descrever um estado de uma vida. Você é feliz? Você sente felicidade a cada momento do seu dia? Provavelmente não.

Mas e se eu te contasse que é impossível ser feliz a cada minuto? – “Caramba, então estou lascada”. Não, é impossível, mas um minuto se sobrepõe a outro e nós podemos escolher usar o óculos coloridos ou os preto e branco.

Porque se há sorrisos, é porque objetos e situações lhe permitem sorrir – elas não precisam ser caras, pelo contrário! São preciosas porque são cotidianas!

Quando reclamamos usamos os óculos em preto e branco e só vimos nuvens cinzas ao invés de brancas, não vemos a chuva como algo bom. Pensamos “Antes está calor e agora vai chover!”.

As colheitas se constroem em dias de calor e de chuva, mas os agricultores sabem apreciar cada processo, cada levantar de cevada e quando os pequenos frutos começam a ganhar postura rumo ao sol.

A felicidade está presente em seu dia a dia, sempre – mas nem todos conseguem enxergar.

Como enxergar a felicidade?

Você caminha e as pernas tremem, eu entendo. Você não aguenta mais andar – parece que caminhou o infinito até chegar onde não quer chegar.

Então? Você para, você se senta, você inspira e sente o ar fresco entrando pelos pulmões. Você comprar uma água? Você a bebe e refresca sua boca seca – você pode até massagear seus pés e enquanto se concentra, não há pessoas para olhar, o relógio parou.

Um lindo cachorrinho para para lamber seus pés enquanto a dona lhe dá um sorriso gentil e você retribui – você usou os óculos coloridos neste momento. Se chegar tarde? Se desculpe. Mas pausas são necessárias entre tarefas e outras e você precisava de uma.

    • Olhe pela janela ao acordar: agradeça por ter dormido bem.
    • Vista sua roupa favorita naquele dia, só porque se sente bem nela.

 

  • Tome seu café da manhã favorito.

 

    • Olhe em volta de sua casa e aprecie os objetos que a decoram. Você os escolheu!

 

  • Cante um pouco antes de sair, sua música favorita.

 

    • Ou pegue um livro e leio no metrô.

 

  • Puxe assunto com quem está lendo um livro também.
  • Ao chegar no trabalho, organize sua mesa da maneira mais bonita possível.

 

  • Faça de lá seu segundo lar.
  • Crie pausas entre as tarefas. Para beber água, esticar as pernas ou só sonhar acordada.

Sua felicidade está em todo lugar!

Quando um dia éramos crianças, todo aprendizado novo, cada novidade, cada boa notícia, mesmo que pequenininha era motivo para sorrir e comemorar!

Mas quando crescemos sentimentos que as notícias tinham que se tornar maiores também – mas não é verdade. As pequenas coisas, as pequenas felicidades diárias ainda estão ao nosso redor, para nos fazer sorrir.

Basta usarmos nossos óculos coloridos e enxergarmos o mundo com outros olhos – veremos que podemos aumentos minutos de sorrisos e diminuir os de lágrimas. É claro, ambos precisam estar lá! Aqui. Mas podemos ser mais felizes do que tristes. Todos os dias.

Louise N. Biolchini
Bibliotecária e Redatora