A sexualidade feminina é um assunto que merece atenção especial, visto que, apesar de atualmente nos deparamos com este tema com mais facilidade, muitos tabus e paradigmas ainda existem.
Com isso, consequentemente muitas mulheres ainda não experimentaram a plenitude de conhecer a si mesmas e compreender os seus próprios desejos. E, por conseguinte, acabam reprimindo vontades por simplesmente não se sentirem à vontade de falar sobre o assunto.
Por conta destes fatores, no artigo de hoje vamos discutir um pouco sobre a sexualidade da mulher moderna. Acompanhe a seguir.

O que é “autoconhecimento”?
Primeiramente, vamos pensar um pouquinho sobre o que é, de fato, o autoconhecimento?
Pois bem, muita gente confunde o autoconhecimento com simplesmente conhecer algo sobre si e acreditar que aquilo é imutável. É claro que você pode conhecer o que gosta e o que não gosta, mas, isso não quer dizer que você sempre será dessa maneira, ok?
A vida faz com que nos deparamos com mil trajetos, acontecimentos, momentos e sensações. Com isso, a cada dia estamos construindo novas formas de ser e de enxergar as coisas.
Logo, torna-se praticamente impossível sermos seres imutáveis, concorda? E por isso, o autoconhecimento deve ser entendido como um exercício rotineiro, constante e frequente.
Não será da noite para o dia que você se entenderá e se conhecerá por completo. E quando achar que já “viu e sentiu” de tudo, você notará que muita coisa nova sobre si poderá surgir.
Mas, para que isso aconteça, você terá que permitir a sua própria escuta. E baseando-se na sexualidade feminina, é imprescindível que você se escute com atenção, paciência e sem cobranças, está bem?
Assim, você se autoconhece. E depois, se desconhece. E se reconhece. E se constrói. E cria, dentro de si, uma mulher que pouco a pouco sabe dos seus desejos, e os escuta com atenção, na medida em que os põe em prática.

Como o autoconhecimento pode ajudar na sexualidade feminina?
Agora, vamos pensar um pouco além. Como este autoconhecimento pode impactar na sexualidade da mulher?
Bom, primeiro porque é a partir dele que você sentirá os seus desejos. E segundo, que é a partir deste “auto conhecer” que você poderá dar espaço para estes desejos.
Pois além de saber o que se quer, o que se tem vontade, é preciso pensar nas maneiras que você encontrará para saciar, correto?
E o que queremos que você compreenda, neste ponto, é que ao se conhecer, você deverá deixar de lado as censuras que foram impostas por outros. Pois sabemos que o universo feminino, inevitavelmente, acaba sofrendo mais repressão que o masculino.
Com isso, muitas das suas vontades foram deixadas de lado, e você pode nem ter se dado conta disso. Mas, percebe-se diante de uma vida sexual não plena, e que não lhe satisfaz.
É possível ainda, como costumeiramente ouvimos, que você acredite que sexo é assim e pronto. E que você, enquanto mulher, não deveria questionar. O que não é verdade!
Muito pelo contrário. Você deve pensar no que deseja, a fim de entender como o seu corpo funciona. Se tocar, se sentir, se conhecer. Saber o que quer, para, mais tarde, viver a completude de um relacionamento mais saudável e leve.
Lembre-se de pensar em si. Lembre-se de dar atenção àquela vontade que você reprime. Pois ela fala sobre quem você é, e sobre o que te faz bem.
E se te faz bem e te desperta o desejo enquanto uma mulher adulta, por que não pensar sobre isso?

A quebra de tabus é constante
Sabemos que a quebra de tabus é constante. Mas saiba que é a partir dessa quebra que você poderá, todos os dias, conhecer novas possibilidades para a sua vida.
E com estas possibilidades, você perceberá o poder de ser você mesma. O poder de escutar o seu corpo, o seu desejo e a sua vontade. Afinal, se o corpo é seu, por que não usufruir dos prazeres que o mesmo pode lhe provoca? Desde que, para isso, você não tenha que prejudicar ninguém?
Pois é! Aproveite a mulher incrível que você é, se descubra, se conheça e cresça cada dia mais. Pois quanto mais você souber sobre si, mais amará a sua própria companhia. E quanto mais amar a sua própria companhia, mais feliz e confiante se sentirá na companhia de terceiros.
Pense nisso!