É apenas segunda-feira, mas já há tanto para fazer! Faculdade, trabalhos, filhos, leituras obrigatórias… – onde, exatamente, há espaço para os sonhos em meio a essa rotina de domingo a domingo?

Às vezes parece que sobreviver já é tão difícil, que tentar se programar para ter uma vida é mais impossível ainda – em uma idade jovem, você nem tem certeza de que escolheu a faculdade certa ainda!

E se essa não é a certa, qual é? História, música, arte… São tantas opções, pensamentos prolongados que ocupam grande parte do seu tempo, como uma música em ordem aleatórias de rimas que não fazem sentido algum.

Para colocar uma ordem nesta atribulada rotina há uma escapatória simples: um mapa mental.

O que é um mapa mental?

Mapa mental é um diagrama que serve para representar pensamentos de forma visual, ajudando a memorizar, aprender, criar e planejar. (PIMENTA, Mateus).

O mapa mental é bastante útil para organizar seus pensamentos na hora de tomar uma decisão ou até mesmo para dividir conceitos para estudar melhor. O mapa fragmenta ideias, de modo a entendê-las melhor, possibilidade entender relações de causa e efeito, correlações e contextualizar ideias.

Os mapas mentais também são muito úteis no processo de memorização!

Como o mapa mental funciona?

O lado direito do cérebro é responsável pela criatividade, é estimulado por cores e imagens, além de pensamentos absurdos. Já o esquerdo é o mais analítica, responsável por tomar decisões mais racionais.

Métodos tradicionais de estudos estimulam, principalmente, o lado esquerdo, deixando nossa criatividade de lado – o que dificulta a aprendizagem e a organização de pensamentos e ideias.

Através do Mapa Mental une-se ambos os lados: ideias não são perdidas ao elaborá-los, como antigos métodos de estudo, e dificulta o processo de escrita. Um sinal de que como é importante escrever o que a mente lhe enviar primeiramente, antes de revisar ou “podar” o que foi redigido.

“O mapa mental é uma ferramenta que ajuda a evitar os julgamentos do nosso consciente”, ou seja, ele abrange mais áreas e pensamentos do que somente o lado racional permite, criando uma conexão de ideias que facilita o entendimento e a memorização.

Há mapas mentais gratuitos online, mas é mais indicado fazer com papel e caneta, pois ajuda na absorção de informações e na memorização. Escrever requer mais esforço do cérebro.

Passo a Passo para criar seu mapa mental

 

  • Defina o tema principal
    1. Escolha seu material, pois vai precisar desenhar
    2. Busque informações relevantes para o assunto principal, tenha bastante referência!
  • Desenha no centro do papel o tema principal. Conecte subtópicos com o tópico principal, podendo usar setas ou linhas.
    1. Quanto mais colorido for, melhor! As conexões podem ter até 4 níveis!
  • Não use frases inteira, no máximo duas palavras para cada “ramo” que conecta os tópicos.
  1. Veja-o com frequência! Não adianta guardar na gaveta e esquecer, tem que vê-lo sempre que possível!

Faça seu próprio mapa mental!

O mapa desenhado e escrito a mão é o mais recomendável, mas se você tem preguiça ou não sabe desenhar muito bem, tem vários sites que podem te ajudar:

Mesmo assim não desista! Além de ser uma atividade divertida, pode te ajudar a organizar sua rotina, melhorar sua habilidade de memorização e te ajudar a estudar. Lembra do dia a dia descrito acima? Bom, este é um pontapé fácil para se dar. Priorize o que for necessário e encaixe o resto!

Por: Louise N. Biolchini
Bibliotecária e Redatora